Caderno Negro

Roubei um caderno de escritos teus, tão negro de capa como de conteúdo, onde escrevias a saudade da saudade que não tinhas mas que fingias ter das palavras que me roubavas, dos lábios que provavas e deste corpo que era só teu. Prometias-me um mundo mas escrevias sobre outro muito diferente daquele que era o meu, onde me embalavas através de doces melodias que fingias ouvir só para eu adormecer. Enquanto nos meus sonhos eu te tinha, tu não sonhavas para não me teres. Deixavas-me na cama fria e fugias para aquele recanto teu, onde escrevias, onde rasgavas o papel que pela manhã queimavas ao mesmo tempo que o teu cigarro se apagava. Acordavas-me com um beijo de desassossego como se acalmasses os teus demónios em pele que definia os teus limites, tão quente mas que em nada derretia lábios teus. Eu a querer mais de ti e tu a viajar com o teu olhar de quem tem o mundo aos seus pés mas não sabe o que fazer com ele, o ar de menino desajeitado em baladas sofridas pelo caminho que se propôs fazer, tanto para se encontrar como para se perder. Gostava que te tivesses perdido mais em mim.

tumblr_nz283vQXvX1rdg7efo1_540

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s